Ele nunca disse...

Depois de ter ficado eternos trinta segundos no elevador com ela, Almir saiu em disparada pelo Shopping Center, e agora? Será que alguém viu tudo? O que fará ele? E a sua amada? Dois anos de namoro jogados fora em trinta segundos de pecado...

Não, ele não tinha com quem se preocupar, ninguém tinha visto nada, o elevador nem tinha câmeras de segurança. Mas seu coração, sua consciência, sim! Eles sabiam de tudo.

Almir estava com fome, muita fome... e não tem como pensar nessas coisas de traição com fome, foi na praça de alimentação e pediu um pastel, recheado com queijo, quatro queijos disseram, mas parecia um só e ainda meio emborrachado. Ali sentado e comendo ele pensou: “Vou contar tudo pra Lú, vou pedir perdão, vamos acabar nosso noivado, mas vou ficar bem comigo.”

Saiu do shopping decidido a se redimir com seus ideais, com seu coração, com seus princípios, dirigiu até a casa de Lú, abriu o portão – Lú já o esperava com o sorriso mais lindo do mundo, com o cheiro mais cheiroso do mundo, com tudo mais tudo do mundo – puxou todo o ar de seus pulmões e berrou aos quatro cantos: “ Te amo minha véia!”

Almir, um homem. Ele nunca disse que era um santo.

Comentários

Camila disse…
Me lembro desse...
Eh tri!
Bjs