sexta-feira, 9 de abril de 2010

Vale mais amar ou ser fiel?

A fidelidade não existe. E isso não é ruim, o ruim é não amar. A infidelidade sempre acontece, aconteceu e acontecerá. O que existe são conceitos diferentes de traição.
A traição acontece pelos atos e acontece também por pensamentos. Para a grande maioria, a traição só é concretizada com o conhecimento carnal, só quando existe o prazer para ambos é que está selada a deslealdade, ou seja, um beijo para alguns ou o sexo para outros. Já os mais exaltados pregam que cogitar trair já é traição, afinal não deveríamos nem cogitar em ficar com outro quando estamos dentro de um relacionamento, se estamos enamorados por um, não podemos desejar um terceiro.
De acordo com as regras da sociedade, ambos estão certos, essa cultura nos é imposta, crescemos escutando o que é o bem e o que é o mal, deixamos de pensar e só reproduzimos ideias.
Porém a grande deslealdade acontece dentro de cada um de nós, para não sermos infiéis, traímos nossos próprios desejos, anulamos nossos sentimentos. Temos que entender que amor e fidelidade não precisam andar do mesmo lado, a infidelidade não prova que não exista mais amor, somos capazes sim, de amar alguém e desejar muitos “alguéns”, e fazemos isso mais vezes do que imaginamos.
Vejo que as pessoas reprovam, julgam e condenam os infiéis. Mas todos serão, mais cedo ou mais tarde, de um jeito ou de outro, infiéis. Nem por isso deixarão de amar seus companheiros. Noto que depois de um longo tempo de relacionamento as pessoas perguntam se já houve traição, nunca perguntam se ainda existe o amor. Uma troca de valores. Afinal vale mais amar ou ser fiel?
Quando começamos um relacionamento, fazemos pactos de fidelidade, eu preferia fazer um pacto de paixão até o fim, de amor enquanto durar, mas não, precisamos escutar a mentira da fidelidade eterna. Nosso orgulho e nossa mesquinhez não permitem compartilhar.

Um comentário:

MiLa disse...

Bom, não tinha pensado por esse ângulo.
Mas, acredito que quando há amor, o fato de notar e desejar o próximo não se torna algo importante quando estamos satisfeitos.
A infidelidade, acredito eu, acontece quando não mais amamos e não estamos mais satisfeitos com o companheiro.
Só que a maioria não admite para si, que o amor já acabou, e acaba sendo infiél de alguma forma.