sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Distante está

Distante está,
meu coração do teu.
E minha língua suplica aproximar dos teus lábios.

Distante está,
meu coração do teu.
E minha saliva implora misturar com teu suor.

Distante está,
meu coração do teu.
E minha pele roga friccionar na tua.

Distante está,
mas esqueça o maldito coração.
Como a um velho louco não daremos bola,
vamos viver de tesão.

Um comentário:

MiLa disse...

Gostei de estilo de escrita!