sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Nostalgia

Pedi uma cerveja.
Ao ver a garrafa, lembrei do guaraná frisante que todos os dias comprava no bar da esquina. O tio me dava o troco em bala.
Bons tempos do guaraná frisante.
Quando eu voltava pra casa, todos na mesa de jantar estavam esperando, a mãe sempre fazia umas comidinhas gostosas, cheirosas. A mãe também era muito cheirosa, o pai vivia dizendo isso. Jantava, fazia o tema e ia dormir.
Bons tempos do guaraná frisante.
Pedi outra cerveja.

2 comentários:

hulia says disse...

adorei!!!
abraço ooo rapaz típico!

MiLa disse...

Oh guaraná frisante!