terça-feira, 26 de abril de 2011

Porto Alegre, 21 de abril de 2011, Mundo

Linha T1 Direta, sentido Sul/Norte.
Louco, preto, fedorento e esfarrapado, entra no ônibus e passa por baixo da roleta.
Cobrador, funcionário, branco, uniformizado, tenta impedir com gritos e pontapés.
Ônibus para.
Motorista, macho, branco, cabelo penteado, agarra o louco fedido pelo braço e força sua saída.
Todos calados.
Menos o louco e o motorista.
E a senhora, que se levanta dizendo que tal atitude era desumana.
E o cobrador, respondendo que desumanos são os passageiros que ligam para as empresas de ônibus reclamando que pessoas mal cheirosas têm entrada livre e gratuita nos coletivos da cidade. Que desumano era como o chefe dele dava esporro após as ligações. Que desumano é o sistema que os obriga a viver aquela situação. Sistema que criou o louco, que criou o chefe, que criou a obrigação.
Todos calados.
Menos o louco.

Um comentário:

MiLa disse...

Bah... realidade!
Mundo de seres humanos que não pensam no próximo, só em si mesmos!