sexta-feira, 14 de março de 2014

E se numa noite tudo fosse esclarecido?


Puta que pariu, ele pensou quando acordou banhado em lágrimas. Puta que pariu. Uma energia percorria seu corpo como jamais havia acontecido. Sorrir, pular, gritar, dançar, abraçar, dar socos no ar, balançar e girar, eram todas essas vontades que tomavam conta do seu ser. Estava mais forte, mais confiante, mais completo. Olhou para o sol, entrando pela janela da sala, sentiu o calor na pele, arrepiou, caiu de joelhos, agradeceu. Ele havia encontrado, naquela noite, o verdadeiro sentido de tudo.

Nenhum comentário: