quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Ronaldinho Gaúcho me representa

Ronaldinho Gaúcho saiu pela porta dos fundos de mais um clube. Fora de forma, sem ambições profissionais, provavelmente vai assinar contrato com mais dois ou três times de segunda linha, antes de se aposentar.

Foi o melhor jogador de futebol do mundo por três anos, um pouco mais, um pouco menos, depois nunca mais foi o mesmo. Milionário aos vinte e poucos anos, Ronaldinho foi desistindo aos poucos de sua carreira.

Dizem que poderia ter atingido o patamar dos deuses, ter feito uma tríade com Pelé e Maradona, ou ficado um pouco mais abaixo, junto dos semi-deuses Beckenbauer, Cruijff, Garrincha, Puskás, Di Stéfano e Platini. Mas não, Ronaldinho abdicou dos céus, resolveu ficar por terra, e agora é mandado por todos para o inferno.

Então eu te pergunto: Você, ser humano normal, que tem um emprego normal. Se você fosse alçado ao posto de melhor coisa normal que você faz do mundo, se te pagassem incontáveis milhões por isso, durante cinco ou dez anos, você não iria relaxar, se entregar aos prazeres da vida? Essa vida que é só uma, tão frágil e breve.

Eu iria.

Nenhum comentário: